segunda-feira, 6 de junho de 2011

Festa × Sorriso × Vontade


A festa estava muito agitada, mas o nosso clima estava tenso. Sentamos no bar. Ela não esboçava nenhum sentimento sequer quando conversava comigo, aliás, nunca vi ela esboçar sentimento algum e momento algum. Balançava aquela pequena taça de Whisky delicadamente com a sua mão de um lado para o outro enquanto ficava fitando os meus olhos com seus olhos verde-avelãs. Eu passava levemente a minha mão em seu rosto pálido em gesto de carinho e de amor que eu sentia por ela e, nao importava o quanto eu dissesse a ela que eu a amava, parecia que ela nem me ouvia. Ela nem estava ali eu acho, o corpo sim, mas, a alma não. O que mais me deixava feliz é saber que o sentimento permanecia ali, o coração pulsava mais forte ao lado dela e ela podia até não demonstrar o que eu realmente queria, mas não deixou de olhar pra mim instante nenhum. Queria ter ficado ali apreciando a beleza dela todos os dias e todos os minutos da minha vida, mas meu tempo naquela festa estava acabando, eu tinha que ir embora cedo, antes de partir eu segurei a mão dela firme e falei baixinho em seu ouvido:
- Tchau! Se cuida. - Dei um beijo e, quando eu fui largar a mão para então ir embora, eu percebi que ela estava me segurando com muita força. Olhei então com ar de curiosidade ao ato dela  e percebi que ela respirava calmamente.
- Não vá embora. Não quero que você vá embora para eu perceber o quanto eu te amo. - Ela falou pra mim, pausadamente e no final, ela sorriu e me deu um beijo. Eu me esqueci do beijo, mas com certeza não esqueci do belo sorriso dela, aliás, foi a primeira vez que eu vi ela sorrir com vontade. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário