segunda-feira, 6 de junho de 2011

Festa × Sorriso × Vontade


A festa estava muito agitada, mas o nosso clima estava tenso. Sentamos no bar. Ela não esboçava nenhum sentimento sequer quando conversava comigo, aliás, nunca vi ela esboçar sentimento algum e momento algum. Balançava aquela pequena taça de Whisky delicadamente com a sua mão de um lado para o outro enquanto ficava fitando os meus olhos com seus olhos verde-avelãs. Eu passava levemente a minha mão em seu rosto pálido em gesto de carinho e de amor que eu sentia por ela e, nao importava o quanto eu dissesse a ela que eu a amava, parecia que ela nem me ouvia. Ela nem estava ali eu acho, o corpo sim, mas, a alma não. O que mais me deixava feliz é saber que o sentimento permanecia ali, o coração pulsava mais forte ao lado dela e ela podia até não demonstrar o que eu realmente queria, mas não deixou de olhar pra mim instante nenhum. Queria ter ficado ali apreciando a beleza dela todos os dias e todos os minutos da minha vida, mas meu tempo naquela festa estava acabando, eu tinha que ir embora cedo, antes de partir eu segurei a mão dela firme e falei baixinho em seu ouvido:
- Tchau! Se cuida. - Dei um beijo e, quando eu fui largar a mão para então ir embora, eu percebi que ela estava me segurando com muita força. Olhei então com ar de curiosidade ao ato dela  e percebi que ela respirava calmamente.
- Não vá embora. Não quero que você vá embora para eu perceber o quanto eu te amo. - Ela falou pra mim, pausadamente e no final, ela sorriu e me deu um beijo. Eu me esqueci do beijo, mas com certeza não esqueci do belo sorriso dela, aliás, foi a primeira vez que eu vi ela sorrir com vontade. 

Falta × Evoluir × Erros


Foram rara as vezes que você andou no lado certo da rua, disse as palavras certas, escreveu com o giz branco para não chamar a atenção e prometeu algo que conseguiu cumprir. Impulsiva como sempre, estragava as minhas surpresas acabando com elas antes mesmo de eu fazer ou dar, e, incontáveis foram as vezes em que você fez algo apenas por ter o prazer de fazer para se esnobar para as suas amigas do feito e ainda ter orgulho de algo que nem você mesmo sabe. Aliás, amigas? Nunca me disseram que você tinha. O mundo passou despercebido diante de seus olhos, o mundo evoluiu sem você enquanto você "evoluía" com seu egoísmo e suas mentiras a ponto de você achar que você está feliz. Pode enganar a todos, mas enganar a você mesmo que as coisa estão bem é impossível. E eu vi isso, quando você olhou para mim, tirou o seu sorriso falso do seu rosto e lembrou de tudo.